quinta-feira, 3 de novembro de 2011

ACASALANDO A NOSSA ALMA



Nosso céu se veste de prazer
navegando num vasto mar revolto
e entre cirandas de suor e gozo
 tua carne devoro em caricias
correndo meus dedos nus
em teu corpo mágico,
mergulhando em teu silêncio
minha mais doce canção
E em meio ao cansaço 
de teus laços
embriagado de minha essência
murmuras meu nome
cantando em nosso ninho
 acasalando teu corpo ao meu
buscando caminhos 
em um tempo dentro de outro tempo
saboreando nossa própria loucura
em uma viajem sem volta e sem rumo 
 entre risos de felicidade
  despertando o nosso adormecer
e galopando nossos corpos 
nas ondas de nosso cheiro



Um comentário:

  1. Eu escrevo sobre a mulher. Me chamou a atenção seu trabalho. Cheira amor. Peço que desse briho que tu emana, nasça dentro de cada homem o desejo de ver uma mulher com os olhos da alma. Dessa forma, poderemos salvar vidas, vidas que estão se perdendo por acharmos que somos donos sozinhos e que o amor que temos é insuficiênte comparado ao da mulher. Eu gostaria muito de cooperar, vc deve e pode fazer diferença, não pare. Estou contigo.
    Carlos SP-ccff4@hotmail.com

    ResponderExcluir

Onde existe luz também existe sombras

Reticências

Reticências