quarta-feira, 25 de novembro de 2009

NA PROFUNDIDADE DESTE AMOR


Canto teu corpo
e canto os teus gemidos
numa seara de caricias.
canto o teu grito, e
tua língua me afaga
Como febre dentro do ventre
corroendo prazer dentro do amor
encadeando nossos delírios
onde pertence a ti e a mim

Somos do barro moldado em mãos
suaves e lentas como algodão
na tua boca sou o sol
e destino que deleita

Mãos descobrindo grutas
nas larvas navegantes do teu toque sedento
sentimos as fragrâncias de nossos risos
num céu profano e secreto

Somos a via láctea
e não há muros erguidos
mais asas abertas de aconchegos
Nossos olhos ardem em êxtases
ao sabor do fruto e
do mel que brota da flor
numa febre que queima nossos paladares
e nos doa como vinho forte
onde suavemente nos rasgamos
E no glamour de mulher que sou
busca do amado gestos indolentes
 alma serena
conforto e laços fortes de amor
Na glória do nosso encontro
no hoje e no amanhã
no presente e o futuro
na santa cidade
de nosso encontro triunfal



Rachel Omena


segunda-feira, 16 de novembro de 2009

ESTE AMOR TEM HORA CERTA


O homem que eu amo
tem a cor da natureza
tem o hálito da laranjeira
tem o cabelo cor do mel 
tem o desejo e a paixão
tem o silêncio das estrelas
tem o brilho do sol do meio dia
tem as mãos suaves como pluma
tem no sorriso a lua
tem no seu coração o meu amor
tenho no meu coração o seu amor
este amor tem o dia certo
a hora certa da chegada
tem o momento certo do encontro
e o infinito para viver




Rachel Omena

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

HOMENS E O SILÊNCIO NEGRO

Hoje deixo de escrever a poesia de amor para relatar a poesia da vida e do desamor



Surdos e mudos são os chacais venenosos que
vivem num mundo amargo que vomitam a fumaça de sua fome
Dentro de circuitos inflamados de maldades
são vales de papeis que rolam em um mercado forjado de desamor
onde homens vestem seus véus dentro de seus pântanos e dizem :
este é o meu testemunho
E são milhões a mastigar seu próprio vazio

 e assim são atrasos eternos
Neles, templos de confusões
sem valores sem moral
enriquecendo dentro da lama negra
de suas vidas que diante de seus olhos são vidas ,
mais que não passam de "morte"
E quando apodrecem sem luz eles travam um mundo 

de guerras que chamam de vitórias
Guerra estéril,absurdas e ridículas

 onde suas fomes crescem porque são fantoches
 e enfeitam sem pudores para
contrair a tortura ao suborno das vidas

 unindo o despertar em sofrimentos.


Abracem seus sonhos
e olham dentro de cada um
suas solidões
Torna-te limpo,ama-te
procura da vida a verdade
São tuas as estradas e suas

 as tuas encruzilhadas
coloca teus pés atrás do vento
e abriga tuas pedras
Tenham seus olhos sedados
e dentro de tua boca coloca água limpa
e esqueça os falsos risos
que acalentam hoje tuas almas
Povoa teus deserto e corram em busca
de teus barros apodrecidos de maldades
e matem de tua presença irônica
o esconderijo de teus trágicos males..


Rachel Omena


sábado, 7 de novembro de 2009

TENHO SEDE QUERO BEBER DO TEU AMOR


Você tem o tamanho certo
como tudo que é feito até o fim
um aroma ousado que se infiltra
dentro de meus desejos infinitos
tua pele em minha pele
tua língua em minha língua
teu sexo na minha mão
tua mão em meus mistérios
em atitudes ousadas
me fazendo beber
saciando a sede


Meu corpo baila
na sede de minhas entranhas
quero te sentir dentro de mim
para me esconder dentro de ti
que seja parte de mim
e na mistura de nossos sucos
teremos mais sede de nossas essências
germinada de sonhos


Quero ser vencida, invadida
eterna, descoberta, enlaçada
estreitando as valas deste amor
onde só existe você e eu
desafiando o entendimento
calmo e eufórico
na chama ardente
e em minha sede
és a gota que sacia
meus lábios sedentos
mais guardado
dentro de tua boca
eternamente

e
mais
uma vez
dormirei dentro de ti


Rachel Omena



domingo, 1 de novembro de 2009

PÁSSARO DE FOGO


Despe minhas vestes
e abre a porta meu amado
viaja entre os orvalhos
de minhas entranhas
bebe meu vinho meu mel
e imaculado seja este momento para
meu coração velar por teus sentidos
Busca-me meu amado
e voltarei a abrir a porta
coloca tua mão sobre a fresta
e o meu coração estremecerá
por teu amor
Meus cabelos estão cheios
de pingos da noite
porque suas mãos destila meu perfume
e minha alma se derrete quando você fala
estou enfermo de amor
Tu és mais amado e mais formoso
que todos os homens
tua cabeça é como o ouro
e teus cabelos como o mar
seus olhos são corrente
de águas cristalinas
seu rosto é suave como um bálsamo
e seus lábios como o lírio branco
seu corpo mais alvo que o marfim
suas pernas como colunas
entre meus beijos
o seu falar é suave e desejável
o meu amado
é
meu

Rachel Omena

Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013