domingo, 20 de setembro de 2009

PALAVRAS VIVAS



Fica em silêncio meu amor
nublado está o sol de uma cor eterna
onde as águas do mar estremecem
invadindo nossas almas
como eixo da terra e
tessitura de um musical
Sou teu alimento
teu ar
sou impregnada de tua essência
teu reflexo e tua luz -sou eu-
Fome que nunca se farta
 sangue que pulsa em minhas veias
De sua natureza sou relva verde
felina em jaula do lado de fora
amor tomado de poder
bebida do teu do nosso prazer
Agora tira minha roupa
faremos juntos um caminho
desejando-nos sem decência
nesta fome insaciável
nesta fortaleza que ampara
a nossa própria sanidade