sábado, 8 de janeiro de 2011

ÁGUAS DE AMOR


I


Chegas-te em meus territórios de mar e encanto
cujas profundidades está o centro do mesmo amor
Alí governas o destino de meus sentimentos e gozo
que irradia meu corpo apaixonado de ti


II


Em minhas cavidades te recebo efusivamente
e te entrego todos os meus eflúvios
que nascem do manancial de minha sexualidade
sou de ti e tu és meu


III


Juntos navegamos pelas torrentes da paixão
em busca das praias de amor eterno
onde repousaram nossos corpos dos embates de orgasmo
em que o veículo da alma me banha de luz e gozo


IV


Somos o rio nilo que banhamos as ribeiras férteis do querer
levando as pedras preciosas que guardam nossos corações
que é a mesma criação do saber e do amor chegando até o
mar sagrado onde guardamos com ciúme os segredos da vida




AGUAS DE AMOR


I
Llegaste a mi territorio de mar y encanto
en cuyas profundidades está el centro mismo del amor
Allí gobiernas los destinos de mis sentimientos y del gozo
que irradia mi cuerpo apasionado por ti


II


En mis cavidades te recibo efusivamente
y te entrego todos los efluvios
que nacen del manantial de mi sexualidad
donde tú eres yo y yo soy de ti.


III


Juntos navegamos por los torrentes de la pasión
en busca de las playas del amor eterno
donde reposan nuestros cuerpos de los embates del orgasmo
en la que el vehículo del alma mi baña de luz y gozo


IV


Somos el río Nilo que bañamos las tierras fértiles de querer
acarreando piedras preciosas que guardan nuestros corazones
que es la misma creación del saber del amor llegando hasta
el mar sagrado donde guardamos celosamente los secretos de la vida

Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013