segunda-feira, 25 de abril de 2011

SEMENTE DE MINHA ALMA


Sou verso que canta dentro de tua boca
som de um gozo sem limite e sem sensura
sou a medida de tuas mãos
a brisa do grande e ardente rio
o beijo com perfume e sedução
onde buscas os labirintos de minha alma
perdido alí me encontras


Abro a porta de minhas entranhas
e te ofereço minha semente
de tua terra jorra fogo dentro de minhas águas infinitas
onde meus desejos são teus delírios
ocultimo de nossos sentimentos
 sem medida - forma e cor


SEMILLA DE MI ALMA

Soy el verso que canta en tu boca
sonido de un gozo sin límite y sin censura
soy la medida de tus manos
la brisa de un grande y ardiente río
el beso con perfume y seducción
donde buscas los laberintos de mi alma
perdido allí me encuentras

Abro la puerta de mis adentros
y te ofrezco mi semilla
de tu tierra vierte fuego dentro de mis infinitas aguas
donde mis deseos son tus delirios
ocultos de nuestros sentimientos
sin medida, forma y color


sexta-feira, 1 de abril de 2011

A PROCURA




Nos momentos em que buscamos a nós mesmos
sentimos o cansaço e a confusão que criamos
entre jogos de sentimentos retidos por um tempo
que não voltará jamais, e perguntamos o que fizemos
de nós mesmos se nem ao menos conseguimos
similar o existente do não existente!
Os versos são caixinhas carregadas de palavras
que em um tempo o amor ou a solidão fracionaram
uma comunhão entre o céu e o inferno de cada um.
Em tudo sabemos e podemos acreditar que o amor é o verbo
que conjugamos entre a luz e a esperança de viver!

Esperei por mim mesma
queria me abrigar nas torres de meus pensamentos
altos e distantes longos e vagos
queria do silêncio a face que não me mostraram

Amanheceu
e o quadro iluminou os meus mais imensos recantos
de um sol recém-nascido com essências cristalinas

Anoiteceu
e o quadro escureceu de um azul recém-morto
de fraguimentos pintado de negro
esperei por mim mesma enquanto era sol
agora se faz lua não pertenço a rua
eu prefiro dormir desejos de paz
estou numa infinita procura tento me encontrar

La procura

Esperé por mi misma
quiérame abrigar las torres de mis pensamientos
altos y distantes largos y vagos
quería del silencio la paz que no me mostraron

Amaneció
Y el cuadro iluminó mis más inmensos encantos
y un sol recién nacido con esencias cristalinas

Anocheció
Y el cuadro oscureció de un azul recién muerto
en fragmentos pintados de negro
esperé por mi misma en cuanto era sol
ahora se hace luna no pertenezco a la calle
yo prefiero dormir deseos de paz
estoy en mi infinita búsqueda
intento me encontrar


Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013