segunda-feira, 28 de novembro de 2011

TERRA PROMETIDA




Minha luz resplandece teus desejos
desejos ocultos de tua alma frágil e serena
 Como fogo meu corpo é úmido em tua boca
que tem sede de meu cheiro doce 
 Tu passeia entre meus seios que ao tocá-los 
 a ti entrego totalmente a essência da loucura
e minha carne geme na proporção 
que tua lingua me consome

Sou tua carne tua mulher e teus sentidos
a gaivota que em noites claras roubadas de sol
desvia a conciência para dentro de teu coração
lavando a saudade como toque de liberdade e vida imortal
para que seja aberto o portal onde chegarei ao mar de teu amor

Terei parte dele para que se misturem as águas
numa dança frenética de sexo e paixão
porque agora já não serei mais a mulher livre
mais seremos amantes que fundem e flutuam ao reencontro
 além do céu da terra e do tempo que foram cativos de solidão
para sermos por fim libertos para sonhar e viver nossa liberdade


E a sós como duas mãos que se encontram
escreveremos na tábua de nossos corações
palavras indiscretas de paixão e felicidade
como canto de lobos que abraça sua presa
enquanto dorme esta poesia







TIERRA PROMETIDA


Mi luz resplandece tus deseos
deseos ocultos de tu alma frágil y serena
 Como fuego mi cuerpo es humedecido en tu boca
que tiene sed de mi olor dulce 
Tu paseas entre mis senos que al tocarlos
a ti te entrego totalmente la esencia de la locura
y mi carne gime en la proporción
que tu lengua me consume


Soy tu carne, tu mujer y tus sentidos
la gaviota que en las noches claras robadas del sol
desvía la conciencia para dentro de tu corazón
limpiando la nostalgia como un toque de libertad e inmortalidad
para que sea abierto el portal donde llegaré al mar de tu amor


Tendré parte de él para que se mezcle con las aguas
en una danza frenética de sexo y pasión
porque ahora ya no seré más una mujer libre
mas seremos amantes que se funden y vuelan a encontrarse
a pesar del cielo, de la tierra y del tiempo 
que fueron cautivos de la soledad
para se finalmente liberados para soñar y vivir nuestra libertad


Y solamente como las dos manos que se encuentran
escribiremos en el tablón de nuestros corazones
palabras indiscretas de pasión y felicidad
como el canto de los lobos que atrapan a su presa
mientras duerme esta poesía





quinta-feira, 10 de novembro de 2011

ÉTER DE AMOR



Ah, amor meu!
Teus olhos me abraçaram
e do céu a luz das estrelas
acaricia meu ventre
e teus beijos me beijam
 desfalecendo meu corpo
 Teus dedos tateavam minhas curvas  
e encontravam atalhos para beber do meu mel
numa louca sequência onde
te entreguei a lua no meio deste ato
e o éter do amor embriagou nosso espaço
e arrebatou a minha alma
Agora a música da noite chegou
 estamos exilados nos braços da poesia
te beijo e adormeço
e enquanto durmo
teu amor me acaricia
 - Velando-me -

Éter de Amor

Ah, amor mío!
Tus ojos me abrazan
y del cielo la luz de las estrellas
acaricia mi vientre
y tus besos me besan
desfalleciendo mi cuerpo
Tus dedos delinearon mis curvas
y encontraron atajos para beber de mi miel
en una loca secuencia donde
te entregue la luna en medio de este acto
y el éter de amor embriagó nuestro espacio
y arrebató mi alma
Ahora la música de la noche llegó
estamos exiliados en los brazos de la poesía
te beso y adormezco
y en cuanto duermo
tu amor me acaricia
- Velándome -

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

ACASALANDO A NOSSA ALMA



Nosso céu se veste de prazer
navegando num vasto mar revolto
e entre cirandas de suor e gozo
 tua carne devoro em caricias
correndo meus dedos nus
em teu corpo mágico,
mergulhando em teu silêncio
minha mais doce canção
E em meio ao cansaço 
de teus laços
embriagado de minha essência
murmuras meu nome
cantando em nosso ninho
 acasalando teu corpo ao meu
buscando caminhos 
em um tempo dentro de outro tempo
saboreando nossa própria loucura
em uma viajem sem volta e sem rumo 
 entre risos de felicidade
  despertando o nosso adormecer
e galopando nossos corpos 
nas ondas de nosso cheiro



UNGIDA PARA O AMOR



Um homem que nasce do silêncio
 como uma esfinge acuada pela noite
 farol das constelações na figuração d´alma
  porque é inconfessável o seu vulto
 ribalta de um corpo em um cenário

 chegou o amor e o amante 


Sua sombra sagrada
veste meu santuário ungindo
de luz e movimentos

e seu cântaro de fogo
marcha dentro do ventre da noite
 passo a passo rumo ao alvorecer


E é tão sutil esta chegada
porque caminha em minha melodia sentida
no rastro e no sigilo de meus sussurros
como numa linda

 - história - de - amor -



Ungida

Un hombre que nace del silencio
como una esfinge calada por la noche
farol de las constelaciones y figuración  d´alma
porque es inconfesable su figura
en el centro de un cuerpo en un escenario
llegó el amor y el amante

Su sombra sagrada
viste mi santuario ungiéndolo
de luz y movimientos
y su cántaro de fuego
marcha dentro del vientre de la noche
paso a paso rumbo al alba

Y es tan sutil esta llegada
porque camina en mi sentida melodía
en el rastro y en el sigilo de mis susurros
como una linda
- historia - de - amor -





Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013