domingo, 27 de fevereiro de 2011

CONTINÊNCIA ENTRE O AMOR E A VIDA


Ressuscitaria eu estando no ventre da morte?
Ou gritaria eu pelos ramos da vida eterna?
Quero das duas a sinfonia dos céus
 como voo de pardais e
sussurros de arvores ao renascer 
suas folhas a cada amanhecer
Cruzar seu brilho como aroma
 de bosque que destila pétalas de cristais
numa harmonia que passeia feliz
 brancos jasmins ofuscado de ouro e prata
Uma vida vasta que caminha
 entre largas montanhas verdejantes
impregnando uma sabia continência
 entre fios tingidos de palavras amorosas
entre sintonias e poesias
 que adormecem no seu repouso 
dentro do meu universo
e de sua voz canto de alegria
 que voa sobre mim como uma figura que sonha
reconhecendo que o amanhã será
 o eco potente entre eu e você

CONTINENCIA ENTRE EL AMOR Y LA VIDA


Resusitaria yo estando en el vientre de la muerte?
O gritaría yo entre las ramas de la vida eterna?
Quiero de las dos sinfonías de los cielos 
como un vuelo de gorriones
 y susurros de árboles al renacer sus hojas en cada amanecer
Cruzar su brillo como aroma de bosque 
que destila pétalos de cristal
en una armonia que pasea feliz
 por jazmines blancos eclipsados de oro y plata
Una vasta vida que camina entre verdes montañas
impregnando una sabia continencia
 entre hilos teñidos de palabras amorosas
entre sintonías y poesías que adormecen
 en el reposo entre mi universo
y de su voz canto de alegria que vuela 
sobre mí como una figura que sueña
reconociendo que el mañana 
será el potente eco entre tú y yo



Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013