domingo, 29 de maio de 2011

BAILEMOS NOSSOS CORPOS


Bailemos nossos corpos
e nossos lábios em ritmos e suspiros
 desfrutemos do vermelho como fogo
marcado pelo silêncio carregado de beijos
   numa paixão avassaladora onde
 levará nós dois ao universo dos sentidos
e te entregarei ali a suavidade de minha pele
e os segredos de minha alma
Purificarei teu sangue 
entre oásis de orgasmos  
deixando que mate a tua sede na minha sede 
umedecendo minha boca em tua boca
para sermos corpos entrelaçados e lapidados
Abrigarei a lua e as estrelas dentro de teus olhos
e beberás da fonte de minhas águas
 - bebe-me inteira e deixa-me morrer em teus braços -

Bailemos nuestros cuerpos

Bailemos nuestros cuerpos
y nuestros labios en ritmos y suspiros
y disfrutemos del rojo y del fuego
marcado por el silencio cargado de besos
de una pasión avasalladora donde
llevará a los dos al universo de los sentidos
y te entregaré allí la suavidad de mi piel
y los secretos de mi alma
Purificaré tu sangre
en un oasis de orgasmos
dejando que mate tu sed en mi sed
humedeciendo mi boca en tu boca
para ser cuerpos entrelazados y perfectos
Ampararé la luna y las estrellas dentro de tus ojos
bebiendo de la fuente de mis aguas
- bébeme entera y déjame morir en tus brazos -





Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013