sábado, 4 de junho de 2011

CORAÇÃO DE PEDRA


 Em seus castelos de ilusões
gelada são as cinzas de sua alma
vai seguido com a esperança de ainda estar vivo
 acariciando sonhos e emoções mortas
E no quarto escuro de seu coração
vive um paraíso de sombras
de seus já cansados dias sem vida
e da janela de seus olhos vê os erros do passado
amores destruidos e falidos
que no tempo espelha e escraviza
Em pedaços espera voar como águia
para esquecer sua própia desgraça e
entende hoje que é seu deus interior
fechado e ferido de seu paganismo
e encerrado numa máscara caída
Eu te conheço e tu não me conhece
conheço a tua alma e tu não conhece a minha
és anjo de asas negras

CORAZÓN DE PIEDRA

En tus castillos de ilusiones
heladas son las cenizas de tu alma
sigue con la esperanza de aún estar vivo
 acariciando los sueños y las emociones muertas
En el cuarto oscuro de tu corazón
viví un paraíso de sombras negras
de sus muy cansados días sin vida
y de la ventana de tus ojos mira tu errante pasado
 amores fallidos y entorpecidos
que el tiempo refleja y te hace esclavo
En pedazos espera volar como águila
para olvidar tu propia desgracia
 entiende hoy que es tú dios interior
cerrado y herido en su paganismo
y encerrado en una máscara de hierro
Yo te conozco, tú no me conoces
Yo conozco tu alma, tú no conoces mi alma
eres un ángel de alas negras



Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013