segunda-feira, 20 de junho de 2011

BALUARTE


Quando a aura de meus dias 
escurecer meus pensamentos
Quando o amor não der mais lugar
entre as flores de meu coração
Quando meu peito com dor chorar sua amargura
Quando eu já não conseguir caminhar entre meu sangue
Quando eu fundir o horizonte dos meus dias
e dele já não ver o brilho da vida
Quando eu não for mais a rosa daquele jardim
que em um tempo suas pétalas deram seu perfume
Quando eu sofrer todas as minhas ansiedades
Quando eu buscar o amor em minhas noites
e não tê-lo entre  minhas entranhas
Quando a música cair no soluço de minha alma
Quando eu olhar para trás e ver que tudo passou
Ainda assim eu estarei com você meu amor
voarei entre as montanhas e penhascos
 para as árvores mais frondosas 
e em seus mais belos galhos
farei morada com o teu amor



Oh' lua que me ama
Sou a chave dos teus precipícios
Sou a água de todos os teus mares
Sou tua bebida mais forte
Sou o que armazena as tuas virtudes
Sou o que corre em tuas veias
Sou o veneno de tuas paixões
Sou a deusa de tuas poesias
Sou a tua arte que vive
Sou o baluarte de teus dias
Sou a conspiração de tua alma
Sou o que ferve dentro de teu sexo
Sou o ventre que te recebe
Sou a mulher de teu amor
Sou a luz que te ama
Sou o teu amanhã
Sou o teu talismã
Oh' lua
Sou eu - Sou eu

 BALUARTE

Cuando el aura de mis días
oscurezca mis pensamientos
Cuando el amor no tenga más lugar
entre las flores de mi corazón
Cuando mi pecho con dolor llore su amargura
Cuando yo ya no consiga caminar entre mi sangre
Cuando yo toque el horizonte de mis días
y ya no vea el brillo de la vida
Cuando yo ya no sea mas la rosa de aquel jardín
que en un tiempo sus pétalos dieron su perfume
Cuando yo sufra todas mis ansiedades
Cuando yo busque el amor en mis noches
y no lo tenga en mis entrañas
Cuando la música caiga en el sollozo de mi alma
Cuando yo mire para atrás e vea que todo pasó
Aún así yo estaré contigo mi amor
volaré entre las montañas y acantilados
para los árboles más frondosos
y en sus más bellas ramas
haré una morada con tu amor


Oh' luna que me amas
Soy la llave de tus precipicios
Soy el agua de todos tus mares
Soy tu bebida más fuerte
Soy la que guarda tus virtudes
Soy la que corre en tus venas
Soy el veneno de tus pasiones
Soy la diosa de tu poesia
Soy tu arte que vive
Soy el baluarte de tus días
Soy la conspiración de tu alma
Soy la que hierve dentro de tu sexo
Soy el vientre que te recibe
Soy la mujer de tu amor
Soy la luz que te ama
Soy tu mañana
Soy tu talismán
Oh' luna
Soy yo - soy yo



Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013