quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

DO LADO DE FORA


 Fica em silêncio meu amor
porque nublado está o sol de uma cor eterna e
 sorrindo estão as águas de um grande rio que estremece
invadindo as chamas de nossas almas
para o eixo da terra que somos
E em uma tessitura de notas e sons
sou a que alimenta teu desejo
sou teu alento
 Impregnada estou de tua essência
do reflexo do teu amor - estou eu -
na fome que nunca se farta
do teu sangue que pulsa em minhas veias
De sua natureza sou a relva verde
felina em jaula do lado de fora
amor tomado de poder
bebida do teu do nosso prazer
Agora tira minha roupa
faremos juntos um caminho
desejando-nos sem decência
nesta fome insaciável
nesta fortaleza que ampara
a própria sanidade

DEL LADO DE AFUERA

Quédate en silencio mi amor
porqué el sol está nublado con un color eterno
 a sonrir estan  las aguas del gran río se que estremecen
einvadiendo las llamas del nuestras almas
como eje de la tierraque somos
y en una conyuntura de sonidos y notas
Soy a que alimenta tus deseos
soy tu aliento
Estoy impregnada de tu esencia
de tu reflejo de amor - estoy yo-
Hambre que nunca se satisface
es la sangre que corre en mis venas
De su naturaleza soy selva verde
felina en jaula del lado de afuera
amor tomado de poder
bebida de ti de nuestro placer
Ahora quítame la ropa
haremos juntos un camino
deseándonos sin decencia
en esta hambre insaciable
en esta fuerza que ampara
la propia cordura



Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013