domingo, 19 de maio de 2013

DO ESPELHO DOS SONHOS



Não sei quanto tempo fiquei a olhar- me naquele espelho
era tudo tão bonito
Aquele vestido ousado, as sandálias de salto muito alto e românticas
as meias de seda que cobriam as pernas bem definidas 
 e no corpo as curvas se faziam fatais
Ali eu sentia que já era o tempo
de embrulhar as imagens já vividas 
e embranquecer os sonhos
Eu teria que fazer do meu mundo um clarão
e deixar viver meu corpo adormecido e calado
 sem ter mais retrospectivas frágeis para
enxergar os sentimentos dormidos 
e congelar as cascatas de lágrimas já
cansadas de esperar as esperanças mortas


Sair sem destino
soltar os cabelos e bailar as emoções
na certeza que da ausência do passado
eu faça as malas imaginárias para esperar
da chegada do amor a partida do que se foi

beijar
 o beijo que ainda não beijei
ofegante      e    desfalecido




DEL ESPEJO DE LOS SUEÑOS

No se cuanto tiempo pasé mirándome en aquel espejo
todo era tan bonito
Aquel vestido atrevido
las sandalias de tacón muy alto y románticas
las medias de seda que cubrían las piernas bien definidas
y en el cuerpo las curvas se volvían fatales
Ahí yo sentía que ya era tiempo
 de envolver las imágenes vividas
y blanquear los sueños
Yo tendría que hacer en mi mundo un destello
y dejar vivir a mi cuerpo adormecido y callado
sin tener más retrospectivas frágiles para
ver los sentimientos dormidos
y ya congelar las cascadas de lágrimas
cansadas de esperar las esperanzas muertas



Salir sin destino
soltar los cabellos y bailar emociones
en la certeza que la ausencia del pasado
yo haga las maletas imaginarias para esperar
la llegada del amor el salida del que se foi
y besar
el beso que aún no he besado
jadeante y desfallecido


Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013