sexta-feira, 25 de outubro de 2013

SONETO A RACHEL



Um olhar penetrante diviniza
O teu rostinho alegre e celestial;
 Na tua pele nua toca a brisa
Percorrendo um caminho sensual;

A minha mão no teu corpo desliza...
Brincam os lábios meus ao natural
 Na tua boca onde o amor se eterniza...
Onde as almas se fundem meu cristal;



O teu perfume nos ares flutua...
Perfume de mulher que fica nua
 Aos olhares sublimes do luar;


A tua alma transborda em teu olhar...
Vejo a magia de um coração fiel
Batendo lindamente em ti Rachel;



03-09-13 Soneto a Rachel Omena

Autor - SAMUEL BALBINOTT

Com a autorização do autor Samuel Balbinott, venho compartilhar um doce e belo soneto a Cristal. 
Eu que admiro a beleza da natureza de suas letras,  pude contemplar a seriedade explícita e mágica deste poeta que alem de seu poder com a escrita, vem a ser acima de tudo um homem temperado por suas criações sem limites.
 Tive o grande prazer de conhecê-lo no profundo desta sua paixão a suas letras artística, porque sabe distinguir a Mulher como um membro de si, a Criança como sua sensibilidade natural e o Universo como conhecimento profundo baseado em descobertas para dar sentido a sua própria existência.  Obrigada meu grande amigo.

 http://lapidandoversos.blogspot.com.br/


Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013