quarta-feira, 29 de junho de 2011

AMOR PROIBIDO


Chegou nu este amor
 caminhando ao segredo de minha vida
Seus passos foram firmes e atrevidos
e como areia movediça vai me afundando
entre beijos ardentes e ousados
 Sinto meu corpo vacilante
deixando-me embriagada e sem ar
ardendo como brasa todo meu interior e
em questão de minutos sem tempo e sem consciência
com incertezas e certezas destes momentos
vai roubando minhas horas de paz
vestindo ele de força e loucuras
Lhe entregarei uma parte de mim
porque a outra é prisioneira de mim mesma
e reflete minha verdade
Recitarei para ele versos proibidos
pois me chama nas horas mais impróprias
onde febril vou ao seu encontro
e o meu céu desce a seu mundo
renascendo minha liberdade
onde a minha única lei é a natureza
e todas as emoções que dançam livres
 Senti o aroma deste homem
sem ataduras e sem tabus
designo do meu destino que me levam
a ver a profundidade de seu olhar
como chama que arde no seu desejo de possuir-me
É profunda a sua sensualidade
e em suas mãos acalenta
profanos prazeres proibidos
despertando meu amanhecer que dormia
nas profundezas de minhas entranhas
Ele busca as flores de minha feminilidade
e não busca meu passado ou meu presente
e nem acalenta meus medos
mais me corteja com seus dedos sobre meu ventre
fazendo o amor docemente como fera no cio e
não ouve a voz secreta de meu coração
esculpindo sua visão no meu rosto bonito
e no meu corpo que ferve silencioso
e que golpeia de desejos
Pede de mim todos os meus momentos
e eu abraço o seu corpo
fazendo amor profundo e sentido



Este amor llegó desnudo
y camina hasta el secreto de mi vida
Tus pasos son firmes y audaces
y como la arena movediza me va hundiendo
de besos calientes y osados
Siento que mi cuerpo tambaleándose
me deja borracha y sin aire
ardiente como si fuesen brasas todo mi interior y
en cuestión de minutos fuera del tiempo y la conciencia
de las incertidumbres y las certezas de esos momentos
va robando mis horas de paz
vistiéndose de fuerza y locuras
Le entregaré una parte de mí
porque el otro es prisionero de mi mismo
refleja mi verdad
Recitaré para él versos prohibidos
pues me llama en las horas más impropias
donde febril voy a su encuentro
y mi cielo se reduce a su mundo
en el que mi libertad renace
donde mi única ley es la naturaleza
de todas las emociones que bailan libres
Sentí el olor de este hombre
sin ventas y sin tabúes
designio de mi destino que me llevan
a ver la profundidad de sus ojos
como una llama que arde en su deseo de poseerme
  Su sensualidad es profunda
y en sus manos aprecia
profanos placeres prohibidos
despertando mi sueño por la mañana
en lo más profundo de mis entrañas
Él busca las flores de mi feminidad
y no busca mi pasado o presente
ni acaricia mis miedos
más me tiene con los dedos en mi vientre
haciendo el amor dulcemente como fiera
sin oír la voz secreta de mi corazón
cincelando su visión en mi cara bonita
y en mi cuerpo que hierve en silencio
que me golpea de deseo
pidiéndome todos mis momentos
y yo abrazo su cuerpo
haciendo un profundo y sentido amor


Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013