domingo, 3 de janeiro de 2016

APAIXONADA PELO AMOR





Chegou nu este amor e  
caminhou aos segredo de minha vida
  Seus passos foram firmes e atrevidos
  Seus beijos ardentes e ousados
 Sinto meu corpo vacilante  
deixando-me embriagada de desejos  
ardendo como brasa todo meu interior
 e em questão de minutos 
sem tempo e sem consciência  
com incertezas e certezas destes momentos vão
 roubando minhas horas de lucidez
 

Lhe entregarei uma parte de mim
  porque a outra é prisioneira de mim mesma

 Recitarei para ele versos proibidos
  pois me chama nas horas mais impróprias
 onde febril vou ao seu encontro
 e o meu céu desce a seu mundo
  renascendo a mulher cuja lei é a natureza
 

Senti o aroma deste homem
  sem ataduras sem tabu  
designo do destino que me levam  
a ver a profundidade de seu olhar  
como chama que arde no desejo de possuir-me 
 É profunda a sua sensualidade  
e em suas mãos acalenta profanos prazeres
 despertando meu amanhecer 
que dormia nas profundezas de minhas entranhas
 

Ele buscava as flores de minha feminilidade
  e não busca meu passado ou meu presente e
  nem acalentava meus medos, mas 
 me corteja com seus dedos sobre meu ventre
  fazendo o amor docemente como fera no cio
 
Pede de mim todos os meus momentos

  e eu abraço o seu corpo fazendo amor profundo e sentido



Reticências

Reticências

Cristal de uma mulher!!!

Alma de poeta
coração de mulher,
por isso mesmo
vive a poesia
em sua magia
mais pura.

Tens também
por serdes
mulher-poeta
a sensibilidade
de um lírio
na pureza de
sua castidade.

A música mora
em seu coração
de natureza afroditiana,
a poesia em sua
forma mais liquida
dança devaneios
românticos em
sua alma feita
das fibras febris
da paixão.

Erotismo em
forma de mulher,
trovadora do
deleite sensual,
entoas em seus
lábios curvilíneos
os versos das canções
que exaltam o prazer
orgástico na sua mais
doce essência.

Cristal de uma mulher
onde as luzes do
regozijo da fêmea
o atravessam para
iluminarem o mundo
dos homens que delas
carecem desesperadamente.

Cisne branco que nada
soberbamente sob o
lago cristalino da
anima humana, pássaro
frondoso com canto de
sereia que arde em seu
peito encantando-me,
enquanto o escuto
e navego na nau das minhas
visões dionisíacas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
sexta-feira, 7 de junho de 2013